Motorista argentino suspeito de atropelar e matar servidor da Funjope se apresenta à polícia; veja detalhes

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

A Polícia Civil da Paraíba, através da Delegacia de Acidentes de Veículos, confirmou que o motorista do veículo que atropelou e matou o funcionário Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) Adriano Fidelis, se apresentou na tarde dessa terça-feira (11) na Central de Flagrantes. O motorista é um argentino, 46 anos, de idade e foi indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, e omissão de socorro.

A Polícia Civil informou ainda que ele vai responder o processo em liberdade e, se condenado, poderá pegar mais de 10 anos de prisão.

Investigações

O inquérito continua e novas diligências serão realizadas, como a oitiva de novas testemunhas e coleta de novas provas. O argentino mora em João Pessoa e trabalha numa montadora de veículos em Pernambuco. No momento da colisão ele estava dirigindo o carro da locadora. No depoimento, ele disse que não havia ingerido bebida alcoólica e não parou para socorrer a vítima porque não sabia da gravidade do acidente.

Relembre

O acidente que vitimou Adriano Fidelis aconteceu no dia 1º de janeiro, na Av. Nossa Senhora dos Navegantes, em Tambaú, enquanto trabalhava. Ele chegou a ser socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa por moradores do bairro, porém, não resistiu aos ferimento e veio a óbito no dia seguinte.

A Polícia Civil, por sua vez, instaurou inquérito para apurar o caso. No decorrer da semana passada o carro envolvido no acidente foi visto em uma oficina no bairro da Torre. Prontamente, a equipe plantonista da Polícia Civil foi até o local e apreendeu o veículo para perícia. Na Central de Polícia, ficou comprovado ser o automóvel envolvido no acidente.

Carro passou por perícia na Central de Flagrantes – (Foto: Polícia Civil)

Destaques

As Mais Lidas​

Notícias Relacionadas