Parque Arruda Câmara conquista título de Posto Avançado da Reserva Biosfera da Mata Atlântica

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

O Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica), conquistou o importante título de Posto Avançado da Reserva Biosfera da Mata Atlântica (PARBMA). O evento aconteceu em Fortaleza, nessa segunda-feira (22), onde na ocasião foram apresentados e defendidos os trabalhos de pesquisa e de educação ambiental realizados na Bica.

A Bica de João Pessoa é administrada pela Prefeitura Municipal.

O secretário de Meio Ambiente, Welison Silveira, destacou que o reconhecimento da Bica como Posto Avançado da Reserva Biosfera da Mata Atlântica confere maior responsabilidade para todas as ações de educação ambiental desenvolvidas pelo Parque. “Temos trabalhado para que a Bica seja um espaço de excelência na área da educação ambiental. Nossos técnicos já desenvolvem ações, diariamente, nesse sentido, e com esse reconhecimento, o Parque, que está situado numa área de Mata Atlântica, passa a ser uma referência para a conservação da biodiversidade, valorizando ainda mais o nosso patrimônio ambiental”, destacou.
 
A função de um PARBMA é desenvolver projetos de preservação desse bioma, que envolvam pesquisa e educação ambiental. Com o título, o Parque Arruda Câmara conquista o reconhecimento que possui um conjunto de porções de ecossistemas terrestres remanescentes de Mata Atlântica e que contribui para a conservação da biodiversidade, pesquisa e promoção do desenvolvimento sustentável e à educação ambiental.
 
Processo
A conquista do título de Posto Avançado da Reserva Biosfera da Mata Atlântica ocorreu após o Parque passar por um processo de avaliação, onde a primeira ocorreu no mês de outubro desse ano, quando o conselheiro Boisbaudran Imperiano visitou a Bica, tornando o local apto a pleitear o título. A segunda parte da avaliação foi justamente a exposição de trabalhos e defesa no evento realizado em Fortaleza. Essa apresentação foi feita por Rodrigo Fagundes, diretor da Bica; Thiago Nery, chefe de setor de zoológico; e Neide Marthins, chefe do setor de botânica.
 
“Esse reconhecimento torna a Bica uma referência para pesquisadores, como estudantes das escolas públicas, de mestrandos e doutorandos na área ambiental. Nós já somos e já funcionamos como um espaço de pesquisa, mas o reconhecimento é importante no sentido de que valida um trabalho já desenvolvido e abre caminhos para diversas ações de conservação e recuperação de parte da mega biodiversidade brasileira, com foco na fauna e flora encontrada em João Pessoa”, afirmou Rodrigo Fagundes.

Destaques

As Mais Lidas​

Notícias Relacionadas