João Azevêdo destaca potencial logístico e capacidade de atração de investimentos da Paraíba

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Foto: Divulgação/Secom-PB

O governador João Azevêdo participou, nesta quinta-feira (14), do Fórum Alternativas Energéticas 2021: Cenários e Perspectivas, oportunidade em que destacou os investimentos do estado para fortalecer a logística de transporte, a capacidade de atração de novos negócios a partir de uma gestão fiscal eficiente e reconhecida por entidades nacionais e internacionais, bem como o potencial para a produção de energias renováveis. 

O evento virtual teve o objetivo de debater com representantes de governo e especialistas na área medidas de atração de energias renováveis, empreendimentos, novas tecnologias, além de conscientizar sobre o uso de energias limpas em residências e empreendimentos. 

Na ocasião, o chefe do Executivo estadual ressaltou a viabilização de investimentos no setor que somam mais de R$ 8,1 bilhões e irão resultar na geração de 4.500 empregos. “Estamos dando passos importantes para construir não apenas uma Paraíba do futuro, mas um estado inovador, que cresce, avança, gera emprego e qualidade de vida, estando na vanguarda nacional em sustentabilidade”, frisou. 

Ele também pontuou que a localização estratégica da Paraíba e os investimentos em infraestrutura facilitam a atração de negócios. “Nós estamos na reta final para liberar o edital de licitação da dragagem do Porto de Cabedelo, que vai passar de 9 metros para 11 metros, o que representa um investimento de R$ 60 milhões de recursos próprios do estado, e aliada à qualidade da nossa malha rodoviária, vamos incrementar a nossa rota de distribuição para o Norte/Nordeste com um porto que poderá receber navios com cargas de até 55 mil toneladas”, acrescentou. 

O gestor ainda destacou o potencial da Paraíba na produção de energia limpa e sustentável e sua importância para o desenvolvimento nas próximas décadas. “Em 2023, teremos 87% de energia renovável. Está em curso no nosso estado a implantação de uma cadeia produtiva em larga escala, de ponta a ponta, e esse conjunto de investimentos privados representa o esforço de uma equipe de governo que enxerga o potencial econômico de cada região e o transforma em emprego, renda e novas oportunidades”, destacou. 

Por fim, João Azevêdo evidenciou a instalação de empresas internacionais importantes na Paraíba, como a Iberdrola, a EDP Renováveis e a EDF Renewables, além da fábrica de painéis solares Balfar Solar, a maior e mais moderna fábrica de painéis fotovoltaicos da América Latina e uma das maiores do mundo, e o Complexo Solar Santa Luzia, que será operacionalizado pelo Grupo Rio Alto. “Nós tivemos a capacidade de cuidar da pandemia, de dar respostas às demandas sociais, de fazer uma gestão fiscal eficiente, temos um programa muito forte de investimentos e criamos um ambiente favorável de negócios que garante o cumprimento de contratos e a confiança dos investidores”, prosseguiu. 

O diretor presidente da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep), Rômulo Polari Filho, afirmou que o Fórum demonstra o interesse do estado de atrair novos investidores e representa uma oportunidade de apresentar as ações no setor. “Esse foi um evento para o Brasil e para o mundo. Apresentamos o posicionamento e o incremento da Paraíba em energias limpas e a prioridade que damos ao segmento que terá um aumento de quase 3.000% nos empreendimentos de geração de energias renováveis até 2023. Além disso, foi apresentado um projeto de PPP, com previsão de edital para 2022, voltado à construção de usina para geração de energia para a máquina pública, reduzindo custos com a iluminação dos prédios públicos”, explicou. 

O vice-diretor do Centro de Energias Alternativas e Renováveis (Cear) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Marçal Rosas, afirmou que a Academia tem sido fundamental para o desenvolvimento e consolidação das cadeias das energias renováveis. “Nós desenvolvemos inovação, novos sistemas e formamos mão de obra qualificada para dar suporte à demanda existente no mercado, além de transferirmos conhecimento para a sociedade, o que consiste na grande atuação que temos junto ao setor”, disse. 

O secretário executivo de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de João Pessoa, João Bosco Ferraz, falou que os investimentos em energias renováveis darão um novo reposicionamento à Capital paraibana. “Nós estamos trabalhando para tornar a cidade cada vez mais atrativa para novos investimentos e estamos preparando uma série de ações para fomentar a vinda de empreendimentos ligados às energias alternativas porque elas são boas para a sociedade e para os negócios”, comentou.

O diretor da Balfar Solar, Olavo das Neves, enalteceu a consolidação da Paraíba como polo de energias renováveis no país. “Na área de industrialização, vemos a implantação da maior fábrica de painéis fotovoltaicos da América Latina, assim como nos grandes projetos que estão aportando recursos importantes, em virtude das características de radiação, somados à integração com a malha rodoviária que faz do estado um hub logístico interessante”, comentou.

O evento foi distribuído em quatro painéis temáticos, abordando temas pertinentes para investidores, pesquisadores, estudantes e público em geral, oportunidade em que foram debatidos assuntos sobre o cenário atual e perspectivas para os setores solar e eólico brasileiro; pesquisa e desenvolvimento no segmento; potencialidades, oportunidades e impactos econômicos na Paraíba; inovação e tendências; e cidadania e incentivos proporcionados pelas energias limpas. 

O Fórum foi uma realização do Governo do Estado, por meio da Cinep, em parceria com a Prefeitura Municipal de João Pessoa e o Cear da UFPB. Também participaram dos painéis Rafael Marques (especialista técnico regulatório da Absolar); Elbia Gannoum (presidente executiva da ABEEólica); Evaldo Neto (superintendente da Sudene); Bruno Frade (secretário executivo da Fazenda do Estado); e Petrônio Rolim (secretário executivo de Parcerias Público-Privada do Estado). 

Ainda palestraram Edmundo Barbosa (presidente do Sindalcool-PB); Ansgar Pinkowski (gerente de Inovação e Sustentabilidade da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha – AHK); Adalberto Maluf (diretor de marketing, sustentabilidade e novos negócios da BYD Energy e Presidente ABVE); Paulo Nery (superintendente da Caixa Econômica em João Pessoa); Olavo das Neves (especialista em Sistemas Fotovoltaicos e Diretor da Balfar); João Newton Castro (superintendente do BNB na Paraíba); e Lucas Borges (coordenador de Projetos da Energisa).

Destaques

As Mais Lidas​

Notícias Relacionadas