Cratera na Pedro II: Cícero diz que Prefeitura pagará valor do carro e dias não trabalhados a motorista

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

Imagem reprodução – (Foto: Secom-JP)

A Prefeitura de João Pessoa pagará indenização no valor do carro ‘engolido’ pela cratera na Avenida Dom Pedro II e dos dias não trabalhados em que o motorista Bruno Pereira Batista, de 43 anos, ficou impossibilitado de dirigir por causa das lesões no acidente. No dia 3 de setembro, um buraco se abriu após o rompimento em uma galera pluvial na avenida que dá acesso à Zona Sul.

Estavam no automóvel modelo HB20 o motorista de transporte por aplicativo e uma passageira adolescente. Ambos foram resgatados sem gravidade ainda por populares que usaram cordas para puxá-los.

O trânsito ficou parcialmente interditado por 15 dias até a conclusão da obra da Secretaria de Infraestrutura no trecho. Tanto o motorista Bruno quanto a adolescente foram cumprimentados pelo prefeito após a situação na Pedro II. Cícero Lucena ofereceu a rede de atenção psicológica para dar suporte à menina, após o susto.

Na tarde desta segunda-feira (20), o prefeito assinou um acordo com o motorista Bruno Pereira. A formalização marcou a implantação da Central de Conciliação da Prefeitura de João Pessoa, vinculada à Procuradoria-Geral do Município.

“Fico feliz por ser possível fechar esse acordo e ter a solidariedade com esta pessoa que passou por uma situação difícil e que, graças a Deus, não sofreu nada e agora pode voltar a trabalhar. A implantação da Central mostra responsabilidade, compromisso e sensibilidade para resolver as questões de forma rápida e eficiente”, declarou o prefeito.

O acordo firmado prevê indenização de acordo com os valores estipulados pela tabela FIP, considerando o modelo HB20 2021. Além disso, está sendo pago um valor correspondente a locação de veículo para cada dia em que o motorista ficou impossibilitado de trabalhar.

Central

João Pessoa é a primeira capital do Nordeste a implantar um setor de Conciliação para demandas da população com o poder público municipal. “Isto vai evitar que questões de simples resolução sejam levadas ao judiciário, sobrecarregando aquele Poder”, explicou o procurador e coordenador da Central, Leon Delacio. Ainda participou da reunião o procurador-geral do Município, Bruno Nóbrega.

A implantação da Central já foi aprovada pela Câmara Municipal e depende apenas de sua publicação em decreto municipal, que vai regulamentar todo o procedimento de atuação. “A ideia é que qualquer cidadão possa procurar o órgão, levando suas demandas. Elas serão avaliadas para que se verifique a possibilidade de conciliação, resolvendo de forma mais rápida pela via administrativa”, explicou Delacio.

Destaques

As Mais Lidas​

Notícias Relacionadas