Socioeducandos da Semiliberdade conhecem equipamentos do Espaço Cultural

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram

No Planetário, na Gibiteca Henfil, no Cine Banguê, no Teatro de Arena. Em qualquer desses equipamentos, 10 socioeducandos da Semiliberdade puderam entrar e conhecer as atividades dentro do projeto ‘Pé no Espaço’. A visita foi possível graças à parceria entre a Fundação Desenvolvimento da Criança e do Adolescente Alice de Almeida (Fundac) e a Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc). Este é o segundo grupo que participa da visita guiada à Funesc em 15 dias. 

O adolescente J.A. (16), que sonha em ser veterinário ou policial ambiental, achou muito interessante a atividade. “Não sou acostumado a ver filmes que trazem para minha realidade de casa, da família”, comentou demonstrando que compreendeu a mensagem do curta ‘Menino Azul’, de Odécio Antonio e roteiro de Aécio Amaral. Ele também se encantou quando identificou o cenário, já que o filme teve cenas rodadas nos bairros José Américo e Água Fria, com elenco composto por paraibanos como Nanêgo Lira, Buda Lira e Luis Carlos Vasconcelos.

S.C., também de 16 anos, achou o filme muito legal.  Segundo o adolescente, o que lhe chamou atenção foi o amor da mãe pelo filho, que protegia do tio alcoólatra, temendo má influência. S. C. também destacou a atividade fora da unidade socioeducativa como uma boa oportunidade para ocupar a mente. “Mente desocupada é oficina do diabo”, lembrou do ditado popular. 

A exemplo dos adolescentes do Centro Socioeducativo Edson Mota (CSE), os socioeducandos da Semiliberdade também conheceram, pela primeira vez, a Gibiteca Henfil, onde receberam informações sobre o acervo e foram presenteados com um kit contendo gibis, cordéis e livro. No Planetário, a curiosidade justificou as inúmeras perguntas feitas a Damião Carvalho, diretor do setor.

Para o diretor da Semiliberdade, Marcondes José da Silva, momentos como esse tanto são especiais para os adolescentes como para a unidade da Semiliberdade. “A direção ter esse momento ímpar, oportunizado pela Fundac, de trazer esse conhecimento para os adolescentes que realmente não conheciam, é muito bom”, disse. “Aqui tem coisas novas que até eu não conhecia, como o Planetário, e acho que para o adolescente foi um momento único. A gente vê no semblante e nos olhos deles a alegria por estarem aqui hoje”, disse, ressaltando que é “muito gratificante e é isso que se quer levar para a socioeducação, todo esse conhecimento que o Estado dá pra eles e que muitos não conhecem”, comentou. 

A abertura das atividades foi feita pelo presidente da Funesc, Pedro Santos, pelo coordenador de Esporte, Cultura e Lazer da Fundac, Nilton Santos, representando também a presidente da Fundac, Waleska Ramalho. As atividades contaram também com o apoio e assistência de Humberto Lopes (ator e gerente de Teatro), Cris Lucena (gerente de audiovisual), Damião Carvalho (gerente do planetário), Tatiana Cavalcanti (diretora da Gibiteca Henfil) e Gian Orsini (diretor do Cine Banguê). Participaram também Marcondes José (diretor da Semiliberade), Uêgylla Keitilly (pedagoga), Mara Fonseca (Assistente Social), ambas da Semiliberdade; Orlando Jr e Edson (eixo esporte, cultura e lazer/Fundac) e vários agentes socioeducativos. Ao final, todos os adolescentes receberam brindes e um lanche.

Destaques

As Mais Lidas​

Notícias Relacionadas