Eliza crítica criação de núcleo evangélico do PT; Marcos Henriques rebate e diz que guerra é causada por conjunto de hipócritas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Eliza Virginia - (Foto: André Pereira/Sistema Arapuan de Comunicação)

O anuncio feito pela direção estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) de criar um núcleo para representar evangélicos da legenda na Paraíba causou polêmica entre parlamentares que representam a classe em João Pessoa. Em entrevista ao programa Arapuan Verdade, nesta quinta-feira (22), a vereadora Eliza Virginia (PP) classificou o ato como hipocrisia e apontou que o segmento não será enganado com mais essa investida da esquerda.

“Está chegando as eleições do ano que vem e as Manuela d’Ávila e as Estelas da vida chegam sempre antes das eleições com a bíblia de baixo do braço, vestidinho alinhado e dando a Paz do Senhor. Elas sempre vão aparecer de 4 em 4 anos. Agora eles estão se antecipando e criando os núcleos, querendo aproximar o PT das igrejas evangélicas e católicas. Mas quem disse que vamos nos enganar? ”, questionou a parlamentar.

Eliza afirmou que a ideologia que os partidos de esquerda defendem não se confundem com as ideias defendidas pelos cristãos. “São partidos que querem aprovar o aborto, aprovar ideologia de gênero, liberar a maconha. Não dá, não podemos compactuar com partidos que pregam contra princípios morais e bíblicos, esqueçam isso. Vão colocar suas ideologias onde quiserem, mas na igreja não dá. Cristão que é cristão não é comunista, socialista, petista ou psolista, esqueçam”, afirmou a vereadora.

Vereador petista rebate
O vereador do PT em João Pessoa, Marcos Henriques, rebateu as críticas e classificou como positiva a iniciativa do partido em criar um núcleo para agregar à esquerda ao segmento. Ele apontou que a hipocrisia nasce no berço daqueles que defendem o presidente Jair Bolsonaro e que Jesus não aceitaria as bandeiras defendidas por esse governo.

“Cristão, como o nome já diz, é quem crer em Cristo, naquilo o que Ele nos deixou; um legado em favor dos oprimidos e contra os opressores, um legado de paz. Ele nos ensina a dá a outra face. Ele jamais defenderia o armamentismo. As vezes penso nas pessoas que defendem esse governo atual, defendendo tortura, com ódio. Você jamais me verá fazendo isso, sempre fiz debate de maneira séria, e jamais vou desqualificar ninguém, porque a salvação é individual e certamente aqueles hipócritas vão acertar suas contas diante de Deus”, disparou o vereador.

O petista lembrou que existe uma ‘guerra santa’ na política iniciada pelos defensores do presidente Jair Bolsonaro e que, na falta de argumentos, eles partem para o ataque a esquerda. “Na verdade, essa guerra santa é causada por um conjunto de hipócritas que tentam tirar do foco das verdadeiras necessidades políticas do país. Por exemplo, nós temos uma necessidade discutir a política econômica desse governo, do desenvolvimento, da inclusão social, e quando as pessoas não têm proposta para isso, começam a querer enganar os cristãos fazendo uma política derivada de hipocrisia, nem todos, mas existem pessoas que usam isso para enganar os cristãos atribuindo a esquerda politicas mentirosas proporcionadas por falta de políticas inclusivas deles mesmos”, afirmou Marcos.

Destaques

As Mais Lidas​

Notícias Relacionadas