X
Dólar
Euro
15 de May de 2021

INVESTIGAÇÃO

Deputados de Minas criam CPI para investigar fura-filas em vacinação

13/03/2021 | 17h36min
Secretário de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, e o governador Romeu Zema – Foto: Pedro Contijo/Agência Minas

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) instaurou na quinta-feira (11) uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar irregularidades na campanha de vacinação contra a covid-19 no Estado. Deputados se basearam na informação de que o secretário estadual de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, e mais 500 servidores estaduais furaram a fila, mesmo sem fazer parte do perfil prioritário, se vacinaram.

A CPI terá um prazo de 120 dias para investigar o desvio de recursos referentes à vacinação irregular de pessoas que estão fora dos grupos  prioritários definidos pelo Ministério da Saúde. Os deputados estaduais também vão apurar o baixo investimento em ampliação de leitos para enfrentamento da pandemia em Minas e a não aplicação do mínimo constitucional em serviços públicos de saúde.

A decisão pela instauração da CPI ocorreu após uma reunião de seis horas com a presença de parlamentares e do secretario de Estado de Saúde. Ele teria confirmado a vacinação dos 500 servidores, por decisão própria. Muitos deles não têm contato com o público e portanto não têm prioridade, de acordo com o Plano Nacional de Imunização.

Com base nas informações, o presidente da ALMG, deputado Agostinho Patrus (PV), determinou a instauração da CPI. “Vamos investigar a fundo esses que se entendem como privilegiados em passar à frente na vacinação. Neste momento de pandemia, é um dos crimes mais graves”.

O próprio secretário também foi vacinado, mas isso não foi alvo de críticas, uma vez que, para o presidente da Comissão de Saúde da Casa, João Vítor Xavier (Cidadania), ele estaria na linha de frente do combate ao covid-19, pois visita com frequência locais de atendimento aos doentes, o que justificaria a vacinação.

O caso provocou o afastamento de Amaral da chefia da SES, ainda na noite de ontem. Pelo Twitter, o governador do estado, Romeu Zema, confirmou a decisão. Em seu lugar, assume o médico Fábio Baccheretti, atual presidente da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig).


Agência Brasil

Você também pode enviar informações à redação do portal paraiba.com.br pelo whatsapp 83 98149 3906.

Notícias Relacionadas