X
Dólar
Euro
03 de April de 2020

BALANÇO

Serviço de hemoterapia do HULW realiza mais de 3 mil transfusões sanguíneas em um ano

27/01/2020 | 14h17min
Foto: reprodução/UFPB

Uma transfusão sanguínea pode salvar vidas. Em 2019, a Agência Transfusional (AT) do Hospital Universitário Lauro Wanderley (HULW-UFPB), filial da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), foi responsável pela transfusão de 3.158 hemocomponentes em 531 pacientes. Em média, ocorreram 264 transfusões por mês.

Dos 531 pacientes beneficiados com transfusões no HULW, 56,50% eram do sexo feminino e 43,50%, do sexo masculino.  As faixas etárias de maior percentual foram a de indivíduos adultos (46,70%) e de idosos (27,80%). A transfusão em pacientes pediátricos com menos de um ano de idade correspondeu a 13,55%. Os grupos sanguíneos mais prevalentes foram o tipo O (53,1%) e o tipo A (31,1%), enquanto que os tipos B (10,9%) e AB (4,9%) foram os mais raros. Com relação ao fator Rh, 89,1% dos pacientes Rh positivo e apenas 10,9%, Rh negativo.

“A transfusão sanguínea é feita de acordo com a necessidade fisiológica do paciente, a partir da indicação médica, e todo o procedimento é realizado pela equipe de enfermagem da agência transfusional e da área assistencial (Hemovigilância). A agência faz a transfusão de diferentes hemocomponentes, que são produzidos a partir da doação de sangue no Hemocentro da Paraíba”, explica Germana Arruda, farmacêutica da Agência Transfusional e responsável pela Hemovigilância no HULW.

Para garantir um estoque seguro e um rápido atendimento após o recebimento da solicitação de transfusão sanguínea, a AT/HULW mantém bolsas de concentrados de hemácias e de plasma fresco regularmente em estoque. Os demais hemocomponentes são solicitados diretamente ao Hemocentro, quando há a necessidade específica de transfusão em algum paciente. Em 2019, foram solicitados 3.411 hemocomponentes ao Hemocentro, mas 173 foram descartados devido a critérios de segurança. O hemocomponente que mais foi transfundido foi o concentrado de hemácias (52,6%).

QUALIDADE E SEGURANÇA

A segurança dos processos de transfusão de sangue no HULW é atestada pela Vigilância Sanitária, que concedeu conceito 97,1% à Agência Transfusional, na inspeção realizada em outubro, o que confirma a preocupação do Hospital Universitário em oferecer um serviço de qualidade e seguro aos pacientes, minimizando os riscos das transfusões

Os critérios adotados pela Vigilância Sanitária para avaliação quanto ao risco potencial variam de Alto Risco Potencial (menos de 60% dos itens cumpridos) a Baixo Risco Potencial (índice maior ou igual a 95% dos itens cumpridos).

Para Germana Arruda, a qualidade atestada pela Vigilância Sanitária também se deve ao reforço na equipe, ocorrido após as contratações realizadas pela Ebserh. Os novos colaboradores vieram somar aos funcionários da UFPB que já atuavam no HULW.

“Assim, houve melhorias nos processos da Agência Transfusional, que vem apresentando avanços contínuos desde 2015, sendo fruto do treinamento continuado da equipe com adequações à legislação hemoterápica vigente, como a Portaria de Consolidação nº 05/2017 do Ministério da Saúde e RDC 34/2014 – Anvisa, segmento ao Protocolo de Transfusão Segura, elaborado na instituição, e o apoio da gestão, além do empenho de todos que fazem a Agência Transfusional”, ressalta.

Sobre a Rede Ebserh – Desde dezembro de 2013, o HULW-UFPB integra a Rede Ebserh. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.


Assessoria

Você também pode enviar informações à redação do portal paraiba.com.br pelo whatsapp 83 98149 3906.