X
Dólar
Euro
14 de May de 2021

RESPOSTA

Bolsonaro diz que fala sobre governadores de ‘paraíba’ foi crítica a Flávio Dino e João Azevêdo

21/07/2019 | 10h34min
O presidente Jair Bolsonaro foi listado entre “fracassos de liderança governamental” em documento da ONU Foto: Jorge William/09-04-2019
O presidente Jair Bolsonaro foi listado entre “fracassos de liderança governamental” em documento da ONU Foto: Jorge William/09-04-2019

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (20) que a fala sobre governadores de “paraíba” foi uma “crítica” aos governadores do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), e da Paraíba, João Azevêdo (PSB), “nada mais além disso”.

Nesta sexta-feira (19), durante uma conversa informal com o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil), antes de um café com jornalistas, Bolsonaro afirmou que daqueles “governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão; tem que ter nada com esse cara”.

A conversa foi registrada pela TV Brasil e viralizou nas redes sociais na tarde de sexta-feira.

O uso de um termo pejorativo para se referir aos nordestinos provocou a reação de governadores da região, que manifestaram “espanto e profunda indignação”.

Neste sábado, durante entrevista a jornalistas em frente ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro foi questionado sobre a declaração. Ele disse que foi “uma crítica em 3 segundos” e que a imprensa “fez uma festa” com a declaração.

“Eu fiz uma crítica ao governador do Maranhão e da Paraíba. Vivem me esculhambando. Obras federais que vão para lá, eles dizem que é deles. Não são deles, são do povo. A crítica foi a esses dois governadores, nada mais além disso”, disse o presidente.

Bolsonaro acrescentou que os governadores do Nordeste “são unidos” e têm a mesma ideologia. “Perderam as eleições e tentam o tempo todo, através da desinformação, manipular eleitores nordestinos”, declarou.

Em uma rede social, Flávio Dino disse que neste sábado o presidente da República tentou “dissimular grave preconceito regional”. O maranhense disse lamentar a atitude de Bolsonaro.

“Hoje o presidente da República reiterou agressões pessoais contra mim e o governador da Paraíba, tentando dissimular grave preconceito regional. Seria mais digno ter se desculpado. Mas o ódio impede um gesto de respeito e grandeza. Lamento muito. ‘Amanhã há de ser outro dia'”, afirmou.


G1

Você também pode enviar informações à redação do portal paraiba.com.br pelo whatsapp 83 98149 3906.