X
Dólar
Euro
21 de June de 2021

DIAS DE GLÓRIA

O dia que o Botafogo-PB calou o Maracanã e bateu o Flamengo de Zico

29/05/2019 | 10h36min
(Crédito: Acervo do Jornal A União)
(Crédito: Acervo do Jornal A União)
(Crédito: Acervo do Jornal A União)
(Crédito: Acervo do Jornal A União)

Botafogo-PB entra em campo na noite desta quarta-feira (29 de maio), contra o Fortaleza, na busca pelo tão sonhado – e inédito – título da Copa do NordesteO FOX Sports e o APP FOX Sports transmitem a decisão, ao vivo, a partir de 19h45.

E se a ideia do Alvinegro é fazer história, o FOXSports.com.br volta no tempo e lembra um feito do Belo para lá de especial: há 39 anos, em 1980, o Botafogo-PB derrotava o Flamengo, de Zico, Adílio, Júnior e companhia, em pleno Maracanã. O Rubro-Negro que, no ano seguinte, seria campeão do mundo ao derrotar o Liverpool. 

Raimundo Nóbrega, historiador e especialista em Botafogo-PB, colaborou com a reportagem e reviveu uma das maiores façanhas da história do clube. A vitória por 2 a 1, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, foi representativa para o futebol paraibano e nordestino como um todo.

E um personagem que tem brilho nos olhos em relembrar o dia 6 de março de 1980 é Magno Santos Cerqueira, meia-atacante do esquadrão alvinegro que calou o Maracanã. Em João Pessoa, onde vive até hoje, o ex-jogador se emocionou e detalhou cada grande momento daquela partida memorável. 

“Tínhamos um time muito forte no norte-nordeste, não fazíamos feio. Quando começou o Brasileiro, muitos não nos conheciam, mas sempre representamos bem nosso Estado. Jogávamos juntos há dois anos. Me honro por ter vestido a camisa do Botafogo-PB”, começou Magno. 

“Não foi uma surpresa. Estávamos muito preparados. Eles não sabiam nosso valor, não conheciam o Botafogo. Eles ficaram surpresos. Quando notaram o jogo… A bola era a mesma, o campo era o mesmo. Pensavam que iam vencer quando quisessem. Não houve respeito com o próximo”, disparou.

Veja a entrevista completa no vídeo acima. 

Vivendo um período mágico de sua trajetória, o Belo, treinado por Caiçara, não encontrou moleza naquele Brasileiro. Logo depois do triunfo sobre os cariocas, o time paraibano também superou o Internacional, no Estádio Almeidão, em João Pessoa – ganhando um apelido audacioso. 

“Matadores de Tricampeões, foi como nos chamaram, era uma chave muito difícil: Santos de Pelé, Inter de Falcão, o próprio Flamengo de Zico”, relembrou o ex-atacante. “Se fosse hoje, com a internet, a informação, nós estaríamos na Seleção Brasileira. Traz água nos olhos relembrar”, disse Magno. 

Outro que jamais esquece a vitória do Botafogo-PB sobre o Flamengo é Marco Vilarim, torcedor ilustre do Belo em João Pessoa. “Pensando em jogo histórico, veio esse momento, vencemos com gols de Soares e Zé Eduardo, ficou marcado”, afirmou mostrando, orgulhoso, quadro com jornal da época.

“Momento especial. Espero que possamos mais uma vez fazer história, conquistando a Copa do Nordeste. É muito difícil, mas impossível não. Acredito que faremos uma linda festa nesta quarta, no Almeidão. O mais Belo vai ficar com o troféu”, finalizou Vilarim.

No jogo de ida, em Fortaleza, o Leão venceu o Botafogo-PB por 1 a 0, no Estádio Castelão, com gol do atacante Welington Paulista. 


Fox Sports

Você também pode enviar informações à redação do portal paraiba.com.br pelo whatsapp 83 98149 3906.