X
Dólar
Euro
14 de dezembro de 2019

LEVANTAMENTO

Inventário Florestal: 45% da extensão territorial da PB é coberta por vegetação natural

03/12/2019 | 10h02min
Apresentação do inventário florestal Foto: Secom PB

Representantes e técnicos dos órgãos de defesa ambiental participaram, nesta segunda-feira (2), do lançamento do Inventário Florestal Nacional da Paraíba. O evento ocorreu no Auditório da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep). O levantamento realizado pelos órgãos competentes identificou que 45% da extensão territorial da Paraíba é coberta por vegetação natural, predominantemente do Bioma Caatinga.

A pesquisa apontou ainda que dos 223 municípios, 31% (69 deles) apresentam mais de 50% do território coberto vegetação natural. Foi constatado ainda que a espécie endêmica Guarda-Orvalho (Erythroxylum pauferrense), que só ocorre em brejos de altitude do estado, está ameaçada de extinção por ser rara na natureza e por ocorrer em ambientes sujeitos a degradação.

O evento contou com a presença do secretário de Estado da Infraestrutura, dos Recursos Hídricos e do Meio Ambiente (Seirhma) Deusdete Queiroga, que representou o governador João Azevêdo; do secretário do Desenvolvimento da  Agropecuária e da Pesca, Efraim Filho, do diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro, Valdir Colatto, e do superintendente federal da Agricultura da Paraíba do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Márcio Ayron.
 
O documento foi apresentado em vídeo pelo técnico do Serviço Florestal Gustavo Pinho. O levantamento dos dados sobre a Paraíba ocorreu numa área de 56 mil km² em 223 municípios no período de maio de 2016 a março de 2017. Na Paraíba, o IFN foi realizado por meio de um trabalho conjunto entre o Serviço Florestal Brasileiro, a Secretaria da Infraestrutura, dos Recursos Hídricos e do Meio Ambiente (Seirhma) e do Herbário Lauro Pires Xavier da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), por meio do Projeto de Apoio ao Instituto Florestal Nacional (IFN), com recursos do Global Environment Facility (GEF), administrados pela FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura).
 
De acordo com o secretário Deusdete Queiroga, esse é um instrumento muito importante, fruto da parceria da Secretaria da Infraestrutura, Recursos Hídricos e Meio Ambiente com o Instituto Florestal Brasileiro e a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), que mostra dados detalhados de pesquisa socioambiental, para que possa desenvolver planejamento e políticas públicas para o Estado. “Os elementos apresentados são atualizados e podem ser utilizados por órgãos e pesquisadores, a exemplo da qualidade, uso e conservação da floresta, a capacidade de regeneração da Caatinga no Nordeste e em especial a paraibana, entre outros elementos que poderão ser utilizados a partir de agora”, frisou o secretário.
 
Como explicou o diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro, Valdir Colatto, a intenção do inventário é mostrar de que forma ocorre a ocupação do território brasileiro e da cobertura do solo. “É um documento técnico científico que mostra a realidade e a riqueza que o Brasil tem nas diversas regiões do País. Mostra o manejo sustentável do País, para que União, estados e  municípios possam planejar seus projetos, com resultados concretos para aplicação dos recursos públicos com financiamento de atividades, trabalhando o processo da atividade econômica, visando o desenvolvimento do potencial de cada região”, ressaltou Colatto.


Redação/Secom PB

Você também pode enviar informações à redação do portal paraiba.com.br pelo whatsapp 83 98149 3906.