X
Dólar
Euro
23 de outubro de 2019

FEIRA AGROECOLÓGICA

Estacionamento de Maternidade se transforma em espaço para mostra e comercialização de produtos agrícolas

09/10/2019 | 16h47min
Maternidade Frei Damião sediou evento sobre Agricultural Familiar. Fotos. Divulgação/Assessoria

O estacionamento  da maternidade Frei Damião se transformou na manhã desta quarta-feira (9) em um espaço para que produtores rurais de várias regiões da Paraíba tivessem mais uma oportunidade de mostrar e comercializar os seus produtos.  A ação fez parte da 1ª Mostra da Agricultura Familiar para Compras Governamentais e integra um conjunto de ações estratégicas do Governo do Estado para estimular a comercialização dos produtos da agricultura familiar paraibana.

Para a diretora geral da maternidade Frei Damião, Selda Gomes, “a feira traz produtos sem nenhum tipo de agrotóxico, o que proporciona uma alimentação saudável, indispensável para a qualidade de vida do ser humano. No ambiente hospitalar, essa alimentação se torna ainda mais importante, pois estamos lidando com os usuários e sua saúde, o que requer uma atenção alimentar de qualidade”,  destacou.

” A Mostra foi um sucesso, o que nos deixou muito felizes, pois tivemos a oportunidade de discutir sobre a importância dos alimentos da agricultura familiar no contexto hospitalar, e assim, já pensar no formato de aquisição destes alimentos em nossa Unidade, o que muito contribuirá para a saúde e qualidade de vida dos nossos usuários”, comentou a diretora administrativa da Frei Damião, Rosângela Guimarães.

A enfermeira Maria das Graças Santos, disse ficou sabendo da feira pelos colegas e já veio de casa com o dinheiro para comprar alguns produtos. ‘Os preços são acessíveis e, acima de tudo, estamos levando qualidade e saúde para a nossa mesa. Está de parabéns o Governo do Estado por mais esta iniciativa”, comentou.

A assistente social, Josefa Reis do Nascimento, explicou que estava esperando a filha receber alta da maternidade quando percebeu o movimento e veio saber o que estava acontecendo. “Quando vi que era um feira e com preços bons e produtos de qualidade, sem agrotóxicos não pensei duas vezes, peguei o dinheiro que tinha carteira e fiz uma feirinha de frutas e verduras”, disse.

Em barracas, os produtores das regiões do Cariri, Curimataú, Brejo e dos Litorais Sul e Norte colocaram à venda alimentos, hortifrutigranjeiros, plantas, artesanato e outros produtos todos produzidos sem quaisquer tipos de agrotóxicos.  A Paraíba possui hoje 420 empreendimentos solidários, entre cooperativas, associações comunitárias e quilombolas.

Thiago Silva, consultor Ambiental do Projeto de Desenvolvimento Sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú ( PROCASE),    explicou que a feira é mais uma ferramenta, um incentivo que o Governo do Estado coloca à disposição dos produtores com o objetivo de facilitar a venda dos seus produtos. “Com esse tipo de evento o homem do campo se sente valorizado e disposto a produzir cada vez mais na certeza de que os seus produtos serão comercializados” destacou.

O gerente de Desenvolvimento Produtivo do Procase, Alex Pimentel, explicou que a agricultura familiar movimenta cerca de RS 40 milhões em todo o país e que 80% do que é consumido pelo brasileiro provém da agricultura familiar.

A agricultura Teresa Beatriz Machado, única produtora urbana da Paraíba com o Certificado de Aptidão do Pronaf (DAP) e que cultiva flores e plantas no Bairro do Poço, em João Pessoa, afirmou que essa feira representa mais um incentivo e um reconhecimento do Governo do Estado que oferece mais uma chance para a comercialização dos produtos. “Agora a gente pode produzir sem medo porque sabemos que temos a quem vender”, comemorou.

Maria Odete da Silva, do assentamento Nova Vida, em Pitimbu, no Litoral Sul, estava com a sua barraca de frutas, verduras e raízes.  Ela também destacou o apoio que o Governo do Estado tem dado aos pequenos produtores na comercialização dos produtos.  “Com essas feiras temos a oportunidade de aumentar a nossa renda”, destacou.

Francimar Fernandes, presidente da Cooperativa Paraibana de Empreendimentos Solidários (Ecosol) também destacou o apoio que os pequenos produtores rurais têm recebido do Governo do Estado.  “Essas feiras representam mais um espaço para que eles possam comercializar os seus produtos”, afirmou.

Geraldo Gomes de Maria, do Quilombo Bonfim, no município de Areia, no Brejo Paraibano, foi enfático ao destacar que essa feira, dentro do contexto social, representa tudo na sua vida.  “Antes a gente só tinha as feiras livres da cidades para comercializar os nossos produtos e agora temos mais espaço o que tem nos ajudado muito a aumentar a nossa renda”, destacou.

Este evento é co-realizado pela Secretaria de Estado da Agricultura Familiar e Desenvolvimento do Semiárido (SEAFDS) – através do PROCASE (Projeto de Desenvolvimento Sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú) – Secretaria Executiva de Economia Solidária (SESOL) e Secretaria de Estado da Saúde (SES).

O objetivo é aproximar a agricultura familiar, sua capacidade de produção, qualidade e regularidade, com capacidade de fornecer alimentos saudáveis a rede pública hospitalar, por meio da modalidade de chamada pública institucional.

Além da Maternidade Frei Damião, participaram os demais hospitais estaduais da região metropolitana de João Pessoa, além do litoral norte e brejo.

Durante o evento, houve exposição e degustação de receitas produzidas com os alimentos produzidos pelos agricultores e agricultoras familiares.


Assessoria

Você também pode enviar informações à redação do portal paraiba.com.br pelo whatsapp 83 98149 3906.