X
Dólar
Euro
07 de dezembro de 2019

RECONHECIMENTO

Maestro José Siqueira é homenageado pela Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba nesta quinta-feira

10/09/2019 | 14h13min
Foto: Secom/PB

“É um momento muito feliz, um momento de celebração, para todos nós, um momento de muita importância para o projeto da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba”.  A declaração é do maestro Luiz Carlos Durier sobre o concerto da OSJPB desta quinta-feira (12), que vai prestar uma homenagem ao maestro e compositor paraibano José Siqueira e que será gravado para integrar o documentário sobre sua vida e obra, dirigido por Rodrigo Marques, sobrinho neto do homenageado, e Eduardo Consomi. A apresentação começa às 20h30, na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural, com entrada gratuita.

Este 6º Concerto Oficial da Temporada 2019 terá regência do maestro titular Luiz Carlos Durier e participação do solista Iberê Carvalho, violista paraibano e ex-integrante da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba, que hoje estuda pós-graduação em uma universidade de Colônia, na Alemanha.

Iberê Carvalho vai participar da execução do “Concertino para Viola e Orquestra de Câmara”, de José Siqueira (1907-1985), autor da maioria das músicas que compõem o programa deste concerto, a exemplo do Poema Sinfônico “O Estoiro da Boiada”, além de “Dança Nordestina”, “Primeira Dança Brasileira – Jongo” e “Terceira Dança Brasileira” – Batuque”.

O concerto contará também com a “Suíte em Dó Maior, Op. 13 “A Jean Huré”, de Alfredo Casella (1883-1947), e “Caymmi, Mulheres (Marina, Dora e Rosa Morena)”, composição de Wellington das Mercês (1973).

“A vida tem nos proporcionado aqui na Paraíba grandes emoções, grandes alegrias, e uma delas é exatamente poder participar com a Orquestra Sinfônica Jovem de um documentário sobre a vida e a obra do grande maestro, paraibano, brasileiro, do mundo, José Siqueira. Um grande e ilustre paraibano que muito nos orgulhou e que muito fez pela música do Brasil e do mundo também”, comemora o maestro Luiz Carlos Durier.

“Nós fomos convidados pelos dois cineastas, Rodrigo Marques e Eduardo Consomi, para fazer parte deste documentário. E tudo ocorreu quando Rodrigo esteve na Paraíba fazendo algumas pesquisas para o seu trabalho e que ouviu como a Orquestra Sinfônica Jovem trabalhava, como ela crescia a cada momento do ensaio. Ele e Josélia Ramalho, também sobrinha neta de José Siqueira, professora da UFPB e ex-integrante da sinfônica, fizeram a proposta e eu abracei imensamente”, contou.

Luiz Carlos Durier destacou o programa que será executado neste concerto. “Convidamos um paraibano também, Iberê Carvalho, violista, para também fazer parte do concerto como solista, tocando uma obra de José Siqueira muito importante, que é o Concertino para Viola e Orquestra de Câmara. Fará parte também do concerto, Três Danças, colhidas pelo maestro, que era um nacionalista, tinha uma estética nacionalista, um respeito pela música brasileira, e um poema sinfônico baseado num poema de Rui Barbosa sobre o estoiro da boiada, as coisas que acontecem na cultura brasileira”, finalizou.

Para o violista Iberê Carvalho, o momento é de celebração. “Estou muito feliz com esse concerto, não só pela oportunidade de mostrar meu trabalho, mas principalmente por estar de volta a minha terra tocando com essa orquestra jovem da qual fiz parte durante vários anos, onde fiz amigos e parceiros musicais que levo até hoje. Outra honra é poder tocar essa obra maravilhosa do maestro José Siqueira e fazer parte da gravação desse documentário, que é de extrema importância para o patrimônio cultural do Estado”, ressaltou.

O homenageado

José de Lima Siqueira nasceu no município de Conceição, no Alto Sertão paraibano, em 1907. Foi compositormaestroacadêmico e fundador de vários institutos de música e arte. Regente e compositor reconhecido em nível internacional, teve grande importância como educador, pelo papel de liderança que exerceu no meio musical de sua época e pela participação da criação de várias entidades de classe e culturais, tornando-se uma das grandes figuras da música brasileira no século XX.

Durante sua juventude, atuou em bandas de música de várias cidades do interior da Paraíba, tocando instrumentos como saxofone e trompete. No Rio de Janeiro, foi integrante das tropas que tinham sido recrutadas para combater a Coluna Prestes e logo ingressou na Banda Sinfônica da Escola Militar, como trompetista.

Estudou composição com Francisco Braga e Walter Burle-Marx, no antigo Instituto Nacional de Música, e formou-se em Composição e Regência, em 1933, iniciando sua carreira de compositor e regente no Brasil e no exterior, em grandes orquestras dos Estados Unidos, Canadá, França, Portugal, Itália, Holanda, Bélgica e Rússia, entre outros países. José Siqueira deixou uma vasta obra composta de óperas, cantatas, concertos, oratórios, sinfonias e música de câmara, para instrumentos solo e para voz.

O solista

Inicialmente, Iberê Carvalho estudou violino, mas passou para viola em 2004. Dois anos depois, ingressou no curso de extensão da Universidade Federal da Paraíba, e em 2010, no curso de Bacharelado em Viola na Universidade Federal de Minas Gerais. Em 2013, foi premiado no Festival Internacional de Música de Santa Catarina, o Femusc, como “aluno destaque”, e no concurso Nacional de Cordas Paulo Bosísio, em Juiz de Fora. Foi ainda semifinalista no Concurso de Música Clássica da TV Cultura, no programa “Prelúdio”, em 2014.

Iberê desenvolve uma carreira ampla, atuando como solista, camerista e violista de orquestra, e como solista se apresentou com orquestras no Brasil e na Alemanha. Em 2017, realizou uma turnê pelo Brasil com o concerto de Radamés Gnattali para viola e cordas, tocando com orquestras em João Pessoa, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Tocou também como solista com a Orquestra da Escola Superior de Música da cidade de Münster, na Alemanha, e com a Orquestra Filarmônica da Universidade Católica de Münster KSHG.

Como camerista, realiza concertos regulares no Brasil, na Itália e na Alemanha, com formações fixas de quarteto com piano e duo com a pianista Maaya Akustu e com o violonista Victor Santana. Participou como convidado das temporadas 2014 e 2015 da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais e em 2016 esteve em turnê com a Orquestra Jovem da Alemanha.

Foi primeira viola convidada da orquestra do Berlin Opern Gruppe e solo viola da orquestra ORSO. Atualmente está sob orientação de Ingrid Zur para o Master em Solo Performance na Escola superior de Música em Frankfurt. 

O regente

Paraibano de João Pessoa, Luiz Carlos Durier é o regente titular da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba (OSJPB) há 22 anos. Em setembro de 2013, foi nomeado diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB).

Como regente convidado, conduziu a Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte, Orquestra Sinfônica do Estado de Sergipe, Orquestra Sinfônica da UFRN e Orquestra Criança Cidadã do Recife. Durier também regeu a Orquestra de Cordas da 29ª e 30ª Oficina de Música de Curitiba. No ano de 2012, o maestro recebeu a Comenda de Honra ao Mérito, pelo desempenho profissional frente à OSPB.

Entre suas atividades, conduziu a OSPB na gravação ao vivo do CD da cantora Marinês e sua Gente e do DVD Sivuca e os Músicos Paraibanos. Com a OSPB e a OSJPB, esteve à frente de concertos com artistas populares como Ângela Rô Rô, Arnaldo Antunes, Tico Santa Cruz e Renato Rocha (Detonautas), Flávio José, Genival Lacerda, Alcione, Toninho Ferragutti, Geraldo Azevedo, Dominguinhos e Zélia Duncan.

Por cinco anos consecutivos, Luiz Carlos Durier regeu a Orquestra Sinfônica da Paraíba e a Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba em grandes concertos comemorativos ao aniversário da cidade de João Pessoa junto a artistas brasileiros. No dia 5 de agosto de 2015, as orquestras paraibanas apresentaram concerto na inauguração do Teatro Pedra do Reino, no Centro de Convenções de João Pessoa, com a participação da cantora carioca Zélia Duncan.

No ano seguinte, a apresentação teve como destaque o cantor e compositor paraibano Zé Ramalho; em 2017, as atrações foram as cantoras paraibanas Cátia de França e Nathalia Bellar, e no ano passado, o também paraibano Chico César foi o destaque. No último dia 5 de agosto, o concerto em homenagem aos 434 anos de João Pessoa foi realizado na Praça do Povo do Espaço Cultural, seguido pelo show da banda Paralamas do Sucesso.

Próximos concertos

Neste mês de setembro serão apresentados dois concertos da Orquestra Sinfônica da Paraíba: no próximo dia 19, na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, e no dia 27, na cidade de Brejo do Cruz. A Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba volta ao palco da Sala de Concertos no dia 10 de outubro.

Serviço

6º Concerto Oficial da Temporada 2019 da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba
Regente: Luiz Carlos Durier
Solista: Iberê Carvalho
Dia: 12/09/2019 (quinta-feira)
Hora: 20h30
Local: Sala de Concertos Maestro José Siqueira, no Espaço Cultural, João Pessoa
Entrada gratuita


Secom/PB

Você também pode enviar informações à redação do portal paraiba.com.br pelo whatsapp 83 98149 3906.