X
Dólar
Euro
17 de julho de 2019

MISTÉRIO

Angela Merkel sofre tremores pela terceira vez em menos de um mês, mas afirma estar bem

10/07/2019 | 10h44min

A chanceler alemã, Angela Merkel, foi vista tremendo pela terceira vez em menos de um mês nesta quarta-feira (10). Merkel apresentou os tremores durante um encontro em Berlim com o primeiro-ministro finlandês, Anti Rinne.

Merkel declarou que está bem. “Não precisam se preocupar comigo. Estou convencida de que estou apta para o trabalho”, disse.

A Reuters afirma que a chanceler de 64 anos foi vista sorrindo durante uma coletiva de imprensa que ocorreu depois dos tremores e da qual participou com Rinne. Ela também falava de forma fluente.

Pouco antes, uma porta-voz do governo havia dito que “as conversas com primeiro-ministro finlandês estão seguindo como planejado”.

A chanceler alemã, Angela Merkel, recebeu o primeiro-ministro finlandês, Anti Rinne, nesta quarta-feira (10) em Berlim. — Foto: Hannibal Hanschke/Reuters

A chanceler alemã, Angela Merkel, recebeu o primeiro-ministro finlandês, Anti Rinne, nesta quarta-feira (10) em Berlim. — Foto: Hannibal Hanschke/Reuters

A alemã foi vista tremendo pela primeira vez no dia 18 de junho, durante uma cerimônia oficial, também em Berlim, com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky. Na ocasião, o tremor foi atribuído à desidratação.

“Bebi pelo menos três copos d’água, do que claramente estava precisando, e no momento me sinto muito bem”, afirmou Merkel no dia da cerimônia.

Nove dias depois, ela teve um novo episódio, horas antes de viajar para a cúpula do G20. Depois desse incidente, a chanceler falou sobre os tremores e garantiu estar bem.

“Não tenho nada particular para informar [sobre os tremores]. Estou me sentindo bem e estou convencida que da mesma maneira que esta reação surgiu, também voltará a desaparecer”, comentou Merkel sobre a segunda ocasião em que os tremores ocorreram.

Uma autoridade do governo afirmou à Reuters que a questão era mais psicológica, ao tentar desesperadamente evitar que o caso se repetisse.

Em caso de Merkel se tornar incapacitada de exercer o cargo, o presidente Frank-Walter Steinmeier precisaria indicar um ministro como chanceler interino até que o Parlamento elegesse um novo nome para substitui-la. Não necessariamente ele precisaria indicar o vice-chanceler, Olaf Scholz, que é membro do Partido Social-Democrata – parceiro minoritário da coalizão de Merkel.


G1

Você também pode enviar informações à redação do portal paraiba.com.br pelo whatsapp 83 98149 3906.