X
Dólar
Euro
19 de setembro de 2019

CRISE DIPLOMÁTICA

Trump ordenou ataque contra o Irã, mas voltou atrás, diz jornal

21/06/2019 | 09h28min

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aprovou na quinta-feira (20) um ataque contra o Irã em retaliação à derrubada pelos iranianos de um drone militar norte-americano, mas suspendeu a ordem antes que o Pentágono a executasse, informou o jornal “The New York Times”.

Autoridades ouvidas sob anonimato pelo jornal disseram que Trump ordenou ataques contra vários alvos iranianos, como radares ou baterias de mísseis.

A operação, marcada para antes das 19h (hora local), já estava em andamento: as aeronaves já estavam no ar e os navios estavam em posição, quando a operação foi suspensa antes de qualquer míssil ser disparado, disseram funcionários do Pentágono.

Ainda de acordo com o ‘New York Times’, as fontes disseram desconhecer as razões da suspensão, seja por uma mudança de opinião de Trump ou razões logísticas, e não confirmaram se os ataques foram cancelados ou adiados.

Donald Trump faz sinal de positivo ao primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, em visita após crise com drone no Irã — Foto: Carlos Barria/Reuters

Donald Trump faz sinal de positivo ao primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, em visita após crise com drone no Irã — Foto: Carlos Barria/Reuters

Drone abatido

Na madrugada de quinta-feira, um drone de vigilância da Marinha americana foi derrubado pelos iranianos perto do Estreito de Ormuz, que é uma passagem importante na rota de petroleiros que saem do Oriente Médio e foi o local onde navios foram atacados no último mês.

O Irã informou que o avião não-tripulado dos EUA estava em uma missão de espionagem sobre seu território, mas os EUA alegam que a aeronave foi abatida em espaço aéreo internacional.

Modelo do drone dos EUA que foi derrubado pelo Irã perto do Estreito de Ormuz — Foto: Divulgação do exército dos EUA/Reuters

Modelo do drone dos EUA que foi derrubado pelo Irã perto do Estreito de Ormuz — Foto: Divulgação do exército dos EUA/Reuters

Logo depois, Trump afirmou em uma rede social que o Irã “cometeu um grande erro”, e em resposta a jornalistas sobre uma possível retaliação respondeu: “Vocês descobrirão em breve”.

Apesar da ameaça, à noite, o presidente americano baixou o tom. Trump disse suspeitar que o Irã derrubou o drone por engano.

“Eu acho que, provavelmente, o Irã cometeu um erro – eu imagino que um general ou alguém cometeu um erro ao abater aquele drone”, disse Trump a jornalistas na Casa Branca.

“É difícil acreditar que foi intencional, se você quer saber a verdade. Eu acho que pode ter sido alguém que estava solto e estúpido naquele dia”, acrescentou o presidente norte-americano.

Crise no Oriente Médio

Buraco em petroleiro japonês que, segundo o Pentágono, foi causado pela explosão de uma mina colocada pelo Irã — Foto: U.S. Navy/Handout via Reuters

Buraco em petroleiro japonês que, segundo o Pentágono, foi causado pela explosão de uma mina colocada pelo Irã — Foto: U.S. Navy/Handout via Reuters

O incidente foi o último em uma série de episódios na região do Golfo, uma via crítica para o transporte e fornecimento mundial de petróleo, desde meados de maio, quando ataques atingiram seis petroleiros, colocando os governos iraniano e dos EUA em rota de confronto.

O Irã nega envolvimento nos ataques a petroleiros, mas os temores globais sobre novos conflitos no Oriente Médio que poderiam interromper as exportações de petróleo provocaram saltos nos preços de petróleo bruto.

A Arábia Saudita, principal aliada dos EUA no golfo, disse que o Irã havia criado uma grave situação com seu “comportamento agressivo” e afirmou que consultaria outros países do Golfo Árabe sobre possíveis próximos passos.

Irã vai à ONU

Bandeira do Irã tremula em Viena, em frente à sede da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) — Foto: Leonhard Foeger/File Photo/Reuters

Bandeira do Irã tremula em Viena, em frente à sede da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) — Foto: Leonhard Foeger/File Photo/Reuters

Irã anunciou que vai à ONU para mostrar que o drone americano que derrubou havia entrado em seu espaço aéreo, diferente do que afirma Washington.

“Levaremos esta nova agressão à ONU e mostraremos que os Estados Unidos estão mentindo”, tuitou o chanceler Mohammad Javad Zarif.

“Os Estados Unidos impõem seu terrorismo econômico ao Irã, levaram adiante ações clandestinas contra nós e, agora, avançam sobre nosso território”, criticou Zarif.

“Não buscamos a guerra, mas defenderemos com zelo nossos céus, terras e águas”, emendou.


G1

Você também pode enviar informações à redação do portal paraiba.com.br pelo whatsapp 83 98149 3906.